Blog do Orlando Costa

Verba volant, scripta manent

Mês: março 2010

PROGRESSO SEM ORDEM – DESORDEM SEM DESENVOLVIMENTO

EXPECTRUM, O FANTASMA DA NATUREZA

EXPECTRUM, O FANTASMA DA NATUREZA

Amigos do blog, recentemente ouvi de um amigo enfronhado nas coisas das administrações públicas, que “não existe progresso com ordem”. Ou seja, esta figura política me colocava que, ou a opção se faz pelo progresso, ou pela ordem. As duas coisas juntas, impossível. Pensei na hora, então, que a frase estampada em nossa Bandeira, “Ordem e Progresso”, fora pensada por alguém que não conhecia este meu amigo, nem tinha a menor noção de que uma coisa é ordem, outra coisa é progresso, ou vice-versa. E que um estado de coisas vai sempre existir em contraposição ao outro. Se é para ter ordem, tudo arrumadinho, é deixar como está. Se é para transformar, construir, rearranjar, tudo o que está aí corre o riso de sofrer intervenções, bruscas, definitivas e, muitas vezes, até radicais e contrariando o senso comum. Esta colocação daquele amigo – que até tem razão, se levarmos em conta aquilo que se pode observar por aí – me ocorreu por ocasião do episódio do ‘esquartejamento’ da quase centenária Figueira (que as pessoas chamavam de seringueira, também) que conviveu com os moradores, transeuntes e frequentadores da região ou do próprio campo de aviação todo este tempo. Que era frondosa, vistosa, proporcionava uma boa sombra e, acima de tudo, dava uma força enorme, com a sua fotossíntese, aos instintos preservacionistas e de combate ao aquecimento global. É o progresso alterando a ordem, ou a desdordem progressista falando mais alto? Levando-se em conta que a obra em questão de nada servirá – “Irá do nada a lugar nenhum”, segundo o vereador João Magalhães (PMDB)-, atestam tantos quantos dela tem conhecimento, imagina-se estar o Executivo apenas tomado pela sua sanha desenvolvimentista que na assência pode ser traduzida por “obreirista”, já que um projeto de desenvolvimento engloba outras tantas coisas que não estão, seguramente, incluídas nos muitos feitos deste Governo. Assim, fica aqui o repto do blog ao Executivo: que prove a urgente necessidade daquela obra, a justificar tamanha falta de apreço e cuidado com o que é da natureza, tamanha desumanidade quando investe contra o meio ambiente local. Lembrando que o repto está lançado a quem se elegeu presidente do Comitê da Bacia Turvo/Grande, com um discurso pró-verde, pró-natureza, pró-preservação do meio ambiente… Fica este texto, também, como uma espécie de elegia à Figueira quase centenária….

ELA É FEDERAL
Amigos do blog, quado postei aqui informações sobre a pequerrucha Bruna Furlan, filha daquele prefeito da TV com GPS, lá de Barueri, lembram?, disse que ela é candidata a deputada estadual. Mas, na verdade, ela é candidata a deputada federal pelo PSDB, o que vem então justificar a ira desmedida do prefeito Geninho (DEM) contra ela, e principalmente contra quem, em Olímpia, estará batalhando votos para ela. Como já revelei, seu QG e seu ‘staff’ eleitoral na cidade serão capitaneados pelo vice-prefeito Gustavo Pimenta, que apesar dos arroubos zulianistas não arredou pé, fincou bandeira e já está arregimentando quem queira se unir a ele nesta luta. Consta que o prefeito não está – mas não está mesmo! – engolindo esta movimentação do seu vice.

ESTÁ ASSIM, MESMO?
Ninguém confirma, mas circula à boca pequena, por aí, que o alcaide andou espumando dia desses, em uma reunião com seu “staff” de primeito, segundo e terceiro escalões, quando tentou impor o nome de Rodrigo Garcia, como condição sine-qua-non de parmanecerem, muitos deles, mantidos em seus cargos. “Espumou” e teria até proferido palavrões e improbérios contra seus desafetos, no entanto, quando foi ‘peitado’ por alguns subordinados. Será que os candidatos a federal que aportarem por aqui terão que usar armadura? Ou só aquela “ungida” pelo seu imediato mais imediato, o vice-prefeito? Aguardem novos ‘rounds’ desta contenda.

TEMPO ESGOTADO?
No início de fevereiro, caiu como uma bomba na cidade, a informação de que o Frigorífico Minerva poderia deixar Olímpia, e cerca de 280 pessoas sem emprego. Foi um corre-corre danado, levando o prefeíto Geninho (DEM) a interferir na questão, buscando resolver o impasse, caso contrário em abril, ou seja, daqui a três dias, a ameaça se consumaria. A direção do Minerva alegou falta de operacionalidade e má adequação do local para a atividade que desenvolve, e reclamou do aluguel do imóvel pedido, R$ 95 mil, contra os atuais R$ 80 mil por mês pagos para usar aquelas dependências. O prefeito se reuniu com o diretor da empresa, Luiz Ricardo Alves Luz, no início de fevereiro, na busca do entendimento. Mas o fez de maneira atabalhoada, com ameaças de desapropiação daquela área, comprada pela Friovale, o que provocou uma reação irada da empresa contra a postura do Executivo olimpiense. E não sem razão. Para quem não se lembra, a Friovale comprou aquela área de 7,21 alqueires do município em 2002, por R$ 398 mil. E a realocou para o Minerva que transformou o local em um centro de distribuição, por conta da enorme câmara fria ali existente. Agora, como parece que nada se resolveu, a empresa hoje está prestes a bater em retirada. Atualmente não está armazenando mais nada, só ‘desovando’ o que tem lá. O momento é de inteira expectativa. Virá a desapropriação? Ou foi só – mais uma – bravata do alcaide?

ABRIL ABONADO
O Sindicato dos Servidores Municipais de Olímpia anuncia os detalhes da contraproposta feita pela comissão de negociação do Executivo à categoria por ele representada, que num primeiro momento parece vantajosa, mas que no médio e longo prazos não se sabe se será assim tão vantajosa. As vantagens existem principalmente porque a categoria receberia no mês de abril uns tostões a mais, que virão engrossar seus ‘soldos’. Mas, não se trata de nenhuma benesse do alcaide à categoria, mas esta diferença viria a título de retroatividade. Assim, vamos ao ponto: o prefeito mandou um índice de 4% de reajuste – contra os 15% pedidos pela assembléia de municipais, mais R$ 30 como vale-refeição, ou abono se preferirem. Assim, com os 4% (R$ 21,80), o piso passaria a ser de R$ R$ 566,80 (hoje é de R$ 545). Com os R$ 30, cada funcionário receberia, a partir de abril, R$ 596,80, até o final do ano, pelo menos (não se sabe se o valor será incorporado ou não depois). De acordo com o Sindicato, no mês de abril a categoria receberia, também, a diferença desde janeiro do reajuste (total de R$ 65,40), mais os vales-refeição desde janeiro (R$ 90). Assim, em abril, o montante a ser percebido por cada um que ganha o piso, seria de R$ 722,20 que, somados aos R$ 30 e aos R$ 21.80, o total geral ficaria em R$ 774,20.

O MAIOR DOS TRÊS
Fazendo uma comparação com o piso nacional de salário e com o novo mínimo regional do Estado, o piso dos municipais olimpienses ganha em qualquer cenário. Sem os R$ 30, fica 11% acima do piso nacional, e R$ 15.6% acima do regional paulista. Se somados os R$ 30, então fica 17% acima do mínimo nacional e 22% acima do regional paulista. Mas, aviso aos navegantes: a partir de abril, ou seja, no pagamento de maio, a bolada “murchará” para os R$ 596,80 somente, somados os R$ 30. O prefeito, por meio de sua comissão de negociação diz que os 4% estão de bom tamanho, porque o índice inflacionário tido como parâmetro deu negativo, menos 1.5% ano passado, e assim, então, o índice oferecido seria “ganho real”. A categoria é que vai decidir em assembléia, marcada para dia 7, uma quarta-feira, às 20 horas, na Câmara Municipal. Não sei por que, mas o blog tem a nítida impressão de que os funcionários vão pegar com as duas mãos a oferta.

RINDO À TOA
Quem está rindo à toa e não hesitaria em aceitar tal contraproposta, com certeza são os altos-vencimentos, aqueles funcionários comissionados, para os quais 4% mais R$ 30 “são lucro”. Por exemplo, tomando como base o vencimento de um secretário ou função correspondente – R$ 5.340 -, os 4% vão representar reajuste de R$ 213,60, que somados janeiro, fevereiro e março, significarão diferença a receber retroativamente, de R$ 640,80. Somados aos R$ 90 – acumulados dos três meses, a diferença passará a ser de R$ 730,80, que somada ao percentual e aos R$ 30 de abril, receberão, a título de reajuste-diferença, R$ 974,40. A remuneração destes felizardos, a partir de abril, para receber em maio, passaria a ser então de R$ 5.553,60.

TENDÊNCIA AO EFÊMERO
Quando é que o povo brasileiro vai aprender que atos de contestação, clamor público, reivindição em massa, só tem valor real quando praticados em benefício de uma coletividade e, por conseguinte, em benefício de cada um daqueles que formam a massa popular? Situações como a do Caso Nardoni são ridículas, um circo somente. De que adiantou tudo aquilo? O resultado era previsível, o casal já estava condenado, o povo, ali, em nada ajudou, a não ser a encorpar o cínico circo televisivo, midiático. Se esta mesma força, esta mesma coesão popular fosse usada em torno de um tema mais, digamos, político-social, com resultados positivos para quem por ele brigasse, o país começaria a andar melhor, já que com a força popular nos calcanhares, nossa politicalha iria pensar duas vezes antes de meter a mão no que é nosso, povo. Mas, infelizmente, estão aí os casos Nardoni da vida para desviar o foco dos verdadeiros problemas do país.

ATÉ ISSO
Em torno deste assunto houve um “desdobramento” em Olímpia. Jornais como “Folha da Região” e “Tablóide da Nova Paulista” publicaram com destaque – o primeiro em meia página interna, o segundo com manchete de capa, ambos com fotos – que “a delegada do 9.º Distrito Policial de São Paulo, Renata Helena da Silva Pontes, responsável pelo inquérito policial que investigou a morte da menina Isabella, de apenas cinco anos de idade, atuou nas delegacias da cidade de Olímpia e da comarca, principalmente, em Guaraci”. Segundo noticiou a “Folha”, “isso aconteceu pelo menos no período entre os anos de 1999 e 2002”. A “FR” ainda destaca que a delegada, no período em que trabalhou em Olímpia, presidiu um inquérito que apurava uma briga durante uma festa do peão acontecida na cidade, em 1998, que acabou gerando uma representação ao Ministério Público de Olímpia, apontando irregularidades que teriam sido praticadas pelo ex-prefeito José Fernando Rizzatti, tucano hoje secretário municipal de Agricultura de Geninho (DEM). “A festa aconteceu no Recinto de Exposições e Atividades Folclóricas Professor José Sant’anna, no período de 23 a 28 de junho de 1998, dentro das comemorações do Dia do Padroeiro da cidade, São João Batista, que teria sido idealizada pelo filho do ex-prefeito, Gustavo Rizzatti”, conclui o semanário. O blog pergunta: qual a importância disso no contexto do cotidiano olimpiense?

FESTA NO NINHO
A tucanada respirou aliviada com a nova pesquisa Datafolha de sábado, que dá Serra com nove pontos à frente de Dilma, a candidata do Lula – ele com 36%, ela com 27%. Até então, a situação era de quase empate técnico, com previsões de subida de Dilma com provável ultrapassagem de Serra. Os Demos, por exemplo, já até ensaiavam um pas-du-deux com parceiro diferente se isso se confirmasse. Mas, não resta dúvidas de que a exposição forçada a que a grande imprensa – ‘Folha de S.Paulo’ e ‘Estadão’ à frente – submeteram Serra, tão logo souberam do panorama desfavorável ao tucanato, foi responsável por esta subida. E é bom lembrar, também, que Serra voltou aos seus patamares de dezembro, portanto, recuperou votos que havia perdido. O que isso pode significar? E Dilma, por sua vez, tinha 17% em dezembro, e manteve-se nos 27% agora. O que isso pode significar? Lula será o expoente máximo da candidata, transferirá a ela os votos necessários para levar esta e deixar os tucanos ‘mortos na praia’ mais uma vez? Lembrando, também, que uma nova derrota do tucanato em nível federal será o fim da agremiação que, de resto, tem seu berço em São Paulo. Destroçado o PSDB, levará junto, por inércia, o insosso DEM, que até hoje não mostrou a que veio?

PAULISTANADA
Porém, no que depender de São Paulo, os tucanos terão sobrevida, ainda que seja regionalmente. O paulista, conservador como ele só, parece decidido a reconduzir ao Palácio dos Bandeirantes, o ‘picolé de chuchu’, o igualmente insosso Alckmin. A última pesquisa Datafolha dá a ele 53% das intenções de voto. Na alternância de nomes entre Eduardo Suplicy e Aloizio Mercadante como candidatos do PT, os índices são de 19% e 13%, respectivamente. Celso – “Está bom para você?” – Russomano (PP) tem 10%, Fábio Feldmann (PV), 3%, e Ivan Valente (PSOL), 1%. Paulo Skaf (PSB) tem 2% se for candidato. O atual secretário estadual do Desenvolvimento, deve deixar o Governo na quarta-feira.

TRÊS TRABALHOS PARA PIMENTA E… ELEIÇÕES NO ‘NOSOCÔMIO’

Amigos do blog, hoje surgiu en passant a informação de que a interventoria da Santa Casa de Misericórdia de Olímpia iria realizar eleições para a escolha da nova diretoria no dia 4 de abril, domingo da próxima semana. Mas, buscando com mais calma os detalhes, vimos que a informação não procede. Porque, inicialmente, as datas não batem. E, depois, por não haver sido feitas as publicações dos editais necessários, o que tem que ser feito com prazo de dez dias corridos antes do pleito. Também porque não se pode fazer eleições e devolver o hospital à sociedade sem que pelo menos os 90 dias de iintervenção sejam cumpridos. E eles vencem em 4 de junho (a ‘tomada’ do hospital foi em 4 de março). Portanto, caso não queira prorrogar este prazo – e parece que é este o caso – o interventor Luiz Gustavo Pimenta, vice-prefeito nas horas vagas (ou quando não há ‘pepinos’ para segurar), pode marcar o pleito para 4 de junho próximo. Não antes. E a novidade, conforme matéria inserida na edição de hoje do jornal “Gazeta Regional”, é a mudança a ser feita no Estatuto da Santa Casa, visando impedir que, quem faz parte da diretoria atual, não integre chapa concorrente – ou, pela tradução livre do blog – “a atual provedora que não se meta a engraçadinha”. Justificativa: “Se estão sob intervenção, como podem disputar a eleição?” Mas, esquece-se o interventor que o pleito sendo realizado no dia 4 de junho, a situação já será outra, ou seja, já terá acabado o ‘estado de exceção’ daquele nosocômio. Então, o Estatuto tornar-se-á um ‘entulho autoritário’ e inconstitucional. E se for pedida a prorrogação por mais 90 dias para fazer valer o estatuto, a dita cuja não poderá acontecer…porque o hospital estará sob intervenção. Entenderam? Vai aí, com certeza, alguma “chicana” jurídica para validar as intenções do prefeito Geninho (DEM), de colocar lá a fração da sociedade que ele deseja que esteja lá: aquela atrelada ao seu grupo político. Aliás, consta que a intenção primeira do alcaide era manter Pimenta no hospital até o “osso”, ou seja, até 4 de setembro, quando fechariam 180 dias de intervenção. Pimenta é que não estaria querendo. E não deverá, mesmo, ficar. Sai em junho, com as eleições, é quase certo.

MISSÃO CUMPRIDA?
O interventor Pimenta tem um argumento simplista para “passar a bola” adiante. Ele entende que uma das três tarefas a serem cumpridas à frente do hospital ele já cumpriu. A paralisação dos médicos acabou desde sexta-feira passada. A segunda tarefa, a reformulação da UTI, aumentando os leitos e acabando com o déficit mensal da ordem de R$ 90 mil. Ele diz que está em pleno andamento o projeto elaborado neste sentido pela gestão anterior e que passa por uma pequena readequação para ser apresentado às autoridades. E a terceira tarefa, a implantação de um gerenciamento diferenciado no hospital, disse que vai alcançar em breve, com o trabalho que está sendo feito por uma equipe técnica – Oscip? – que deve ser concluído e também levado às autoridades. Pimenta acredita que, de posse destes três relatórios, o promotor de Justiça Gilberto Ramos de Oliveira Júnior irá se convencer de que a situação está sob controle e liberar a eleição. Assim, “bye-bye problemas”. Não parece fácil demais? Aguardemos….

FALANDO EM
No último post feito neste blog falei sobre a TV de Barueri, e lembrei aos amigos que o prefeito daquela cidade, Rubens Furlan, é pai daquela gracinha pequerrucha chamada Bruna Furlan, que quer ser deputada estadual. Falei que apesar da proximidade com o prefeito Geninho (DEM) no início de seu governo, e da ambulância seminova que seu pai mandou para Olímpia na base da camaradagem, no ano passado, eles – os Furlan – e o prefeito olimpiense já não tomavam café na mesma mesa. De fato, a coisa continua sendo assim. Mas, esqueci de dizer que a Bruninha não está só na cidade. Que ela não foi abandonada e, muito pelo contrário, sua campanha não ‘micou’ por aqui. Há informações que seu “cavaleiro da boa esperança” por estas plagas seria ninguém menos que….o vice-prefeito Gustavo Pimenta. Claro que a imenso contragosto do prefeito. Que não quer saber de nenhum “forasteiro” por aqui fora das hostes do seu “padrinho” Rodrigo Garcia. Mas, Pimenta, consta, não está nem um pouco disposto a arredar pé de sua decisão: vai pedir votos para Bruna Furlan. Até equipe de trabalho já estaria formando. Para prolongar as noites insones de uns e outros.

MAIS UM?
Comenta-se à boca pequena por aí que Olímpia está prestes a ganhar mais um “noticioso” em papel. E que seria um diário. Diário de Olímpia. A figura que estaria por trás teria fortes ligações com o Governo Municipal. Seria mais uma aventura do supergênio e sua lâmpada maravilhosa? Não lhe estaria bastando toda a mídia disponível, embora mantida a duras penas? Ou há recursos públicos sobrando para tal “investimento”? Ou virá gente “graúda” de outras partes? Pode ser também apenas um “balão de ensaio”, um blefe. Or just my imagination…

SANTA CASA: OSCIP COMO GESTORA É TEORIA CONSPIRATÓRIA?

AÍ ESTÃO ELES, BEM JUNTINHOS

AÍ ESTÃO ELES, BEM JUNTINHOS

Amigos do blog, já todos sabem, os médicos voltaram ao

BRUNA FURLAN, PREFEITO E PITUCA

BRUNA FURLAN, PREFEITO E PITUCA

trabalho nos plantões de disponibilidades depois que a interventoria da Santa Casa (leia-se prefeito Geninho [DEM]) decidiu voltar atrás e homologar o acordo que já havia sido assinado ainda antes da estabanada intervenção. Como disse o advogado dos médicos, Gilson Delgado, é de se crer que o grupo no poder estava apenas “dando um tempo” para tomar tal decisão. Já este blog vai mais além, já que também pode estar aí um indício de que não era intenção do prefeito manter este sistema nos moldes em que vinha sendo antes, e volta a ser agora. Talvez só tenha sido vencido pelo clamor popular, pelas críticas generalizadas. Tudo leva a crer que, ou a Santa Casa será devolvida “o mais rápido possível” mesmo à sociedade, como aventou Gustavo Pimenta, o vice-prefeito interventor, ou uma nova idéia estaria a brotar das cabeças pensantes do Governo Municipal. Como, por exemplo, a contratação de uma Oscip por meio de contrato de parceria, para que ela cuide da Santa Casa. A reforçar esta teoria conspiratória está a publicação de sábado passado da Imprensa Oficial do Município-IOM, sob o título “Concurso de Projetos nº 021/2010”, cujo objeto é a “Seleção de Oscip para celebrar Termo de Parceria, na área da Saúde, com vistas à melhoria de vida da população, observadas as especificações técnicas e a descrição das atividades estabelecidas no Anexo I do Edital (…)”, com abertura dos envelopes para 4 de abril, às 9h30. Assim, aquele hospital, ao mesmo tempo em que sairia das mãos do Poder Público, não voltaria aos cuidados da sociedade, conforme apregoou o interventor (que ou estava jogando, quando disse que não homologaria o acordo com os médicos, ou estava ‘por fora’ das reais intenções do prefeito). Seria a implantação de uma gestão hospitalar dentro do conceito de “modernidade”, “tecnicismo” e”profissionalismo”, tão ao gosto do alcaide.

FACILITAÇÕES
Uma Oscip, para quem não sabe, é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, um título fornecido pelo Ministério da Justiça do Brasil, cuja finalidade é facilitar o aparecimento de parcerias e convênios com todos os níveis de governo e órgãos públicos (federal, estadual e municipal) e permite que doações realizadas por empresas possam ser descontadas no imposto de renda. OSCIPs são ONGs criadas por iniciativa privada, que obtêm um certificado emitido pelo poder público federal ao comprovar o cumprimento de certos requisitos, especialmente aqueles derivados de normas de transparência administrativa. Em contrapartida, podem celebrar com o poder público os chamados termos de parceria, que são uma alternativa interessante aos convênios para ter maior agilidade e razoabilidade em prestar contas. Perceberam? Contrata-se uma Oscip e tudo fica mais fácil. Até mesmo para repassar-se dinheiro na medida da necessidade, sem problemas futuros com Ministério Público ou mesmo Tribunal de Contas. E mais: uma Oscip pode até contratar mão-de-obra às expensas dos cofres públicos. Seria “melzinho na chupeta”, como se diz por aí.

E MAIS
Uma ONG (Organização Não-Governamental), essencialmente é uma OSCIP, no sentido representativo da sociedade, mas OSCIP trata de uma qualificação dada pelo Ministério da Justiça no Brasil. A lei que regula as OSCIPs é a nº 9.790, de 23 março de 1999. Esta lei traz a possibilidade das pessoas jurídicas (grupos de pessoas ou profissionais) de direito privado sem fins lucrativos serem qualificadas, pelo Poder Público, como Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público-OSCIPs e poderem com ele relacionar-se por meio de parceria, desde que os seus objetivos sociais e as normas estatutárias atendam os requisitos da lei (conforme pede o edital, aliás). Um grupo recebe a qualificação de OSCIP depois que o estatuto da instituição que se pretende formar tenha sido analisado e aprovado pelo Ministério da Justiça. Para tanto é necessário que o estatuto atenda a certos pré-requisitos que estão descritos nos artigos 1º, 2º, 3º e 4º da Lei nº 9.790/1999. Pode-se dizer que as OSCIPs são o reconhecimento oficial e legal mais próximo do que modernamente se entende por ONG, especialmente porque são marcadas por uma extrema transparência administrativa. Contudo ser uma OSCIP é uma opção institucional, não uma obrigação. Em geral, o poder público sente-se muito à vontade para se relacionar com esse tipo de instituição, porque divide com a sociedade civil o encargo de fiscalizar o fluxo de recursos públicos em parcerias. A OSCIP é, portanto, uma organização da sociedade civil que, em parceria com o poder público, utilizará também recursos públicos para suas finalidades, dividindo dessa forma o encargo administrativo e de prestação de contas. (Salve, salve, Wikipédia!).

PARA REGISTRO
Se os amigos se lembram, desde o início de seu Governo que o prefeito Geninho vem de manter parcerias como este tipo de instituição. Até já ouvimos de alta figura governamental, tempos atrás, que elas (Oscips) seriam uma maneira de a prefeitura contratar gente sem os entraves naturais nestas ocasiões. Pode ser apenas uma teoria conspiratória tudo isso, como pode não ser. Basta que fiquemos atentos.

À DISTÂNCIA
Como juizo e caldo de galinha não fazem mal a ninguém (a menos que a dita cuja não
tenha sido armazenada conforme as recomendações), o Governo Municipal parece que vai manter uma certa distância desta segunda edição do Olímpia Rodeo Festival, que este ano acontece de 23 a 26 de Junho, no Recinto do Folclore (com entrada franca? A programação não fala nada). A organização da festa começou hoje a divulgar a programação musical do evento, que consta ser, desta vez, de responsabilidade única do empresário radiofônico Fernando Martinelli. Nada de Clube dos 25, ao que parece, já que ele ainda é objeto de investigação nos MPs municipal e federal. O ORF 2010 tem na programação Fernando&Sorocaba, Daniel, Edson (ex-Edson&Hudson), Cristian&Ralf e Milionário&José Rico, como atrações especiais. E mais: no dia 23, uma quarta-feira, acontece a abertura oficial, com (argh!) montarias, seguida dos shows de Cristian&Ralf, Milionário&José Rico e “outros atrativos do dia”, a serem divulgados “em breve”. No dia 24, Dia do Padroeiro, São João Batista, uma quinta-feira, seguem as (argh!) montarias, seguida do show com Fernando&Sorocaba na arena, e “outros atrativos”. No dia 25, sexta-feira, mais (aaaarrrgh!) montarias e show com Daniel, também na arena, e “outros atrativos”. No sábado, 26, bem…tem as montarias, as (ufa!) finais com premiação e depois show com Edson, aquele da ex-dupla Edson e Hudson, na arena, e “outros atrativos”.

A PROPÓSITO
Não tinham anunciado o tal de Luan Santana, que não canta nada, mas a molecada adora? Pois é, parece que o glamour do ano passado não está querendo dar o ar da graça este ano. Pelo menos a Administração, ao que tudo indica, estará mais comedida. Ou não?

QUE VENHA O PRÉ-SAL
Caso de fato a emenda do pré-sal vingue nos termos em que foi proposta pelo deputado federal Ibsen Pinheiro (PMDB), Olímpia e os municípios da Comarca terão uma injeção de recursos da ordem de R$ 4,4 milhões, montante quase dez vezes superior ao que entra na micro-região hoje, dentro desta mesma rubrica – R$ 531.063. Cada município, da mesma forma, também receberá quase dez vezes mais recursos. Olímpia, por exemplo, passará dos atuais R$ 196.865, para R$ 1.814,165, a partir de 2016. A discussão sobre os recursos com a compensação devida pelas empresas que exploram petróleo (royalty) ganhou força depois que a Câmara aprovou a emenda apresentada por Ibsen Pinheiro e pelo deputado Humberto Souto (PPS-MG) que acabou com os privilégios dos Estados Produtores e garantiu uma divisão igualitária dos recursos entre todos os Estados e municípios do país. A aprovação da emenda ao projeto do pré-sal prevê distribuição igualitária dos royalties do petróleo e deve injetar R$ 4.408.423 nos cofres das prefeituras da micro-região de Olímpia, a partir de 2016. Se de fato a emenda for aprovada como está e sancionada pelo presidente Lula, daqui a seis anos ainda, Altair, Cajobi, Embauba e Guaraci vão receber, cada, R$ 544.250 – hoje recebem entre R$ 58 mil e R$ 59 mil. Severínia passaria a receber R$ 907.083, contra os R$ 98.265 de hoje. E Olímpia, dos R$ 196.865 que recebe hoje, passaria a receber R$ 1.814.165, ou seja, R$ 1,67 milhão a mais. Dinheiro que, caso venha de fato, chegará apenas no último ano de uma eventual segunda gestão do atual prefeito (lógico que com o vice no cargo, por motivos sobejamente conhecidos).

FALANDO NISSO
Consta que o alcaide já não estaria escondendo mais de ninguém quais suas reais pretensões na vida política que abraçou desde tenra idade. Falando a uma autoridade local dias destes, garantiu que nada o impedirá de galgar posições mais elevadas na política, passando inicialmente pela Assembléia Legislativa. Por isso teria garantido a esta autoridade que nada de extraordinário vão encontrar em seu Governo aqueles que insistem em manterem-se atentos quanto a atos, decisões e ações por ele perpetrados. Contas rejeitadas? Jamais! Ações por improbidade? Não prosperarão! Porque ele, simplemsmente, não vai errar. Não quer deixar rastros, “rabo”, como se diz. O que deixou a autoridade um tanto intrigada foi quando ele disse que teria por trás de sí “um esquema muito grande”. Para o blog, faltou o alcaide desenvolver melhor o tal “esquema muito grande”, se é que se referiu a uma ‘malha’ de proteção política extensa, com ramificações além-fronteira das cercanias, nestes termos.

PARA REGISTRO II
Consta que ainda nesta conversa, o alcaide teria colocado toda documentação necessária para a fiscalização ou exame daquela autoridade, sobre qualquer setor, mas que só o faria, nestes termos, para seu interlocutor, tão somente. E teria chegado a citar dois outros nomes de autoridades para as quais jamais dará qualquer informação, assim, “de mão beijada”. Lembro que tais excertos da conversa não me foram passados diretamente pela autoridade em questão. Mas, se esta eximiu-se dos detalhes, não negou que houve o encontro.

BARRACO
Por pouco centenas de educadores, diretores, secretária de Educação e funcionários do setor não foram, na noite de ontem, surpreendidos por cenas que, digamos, não seriam próprias de uma Casa de Leis, por definição um “celeiro de democracia”. É que durante a paralisação da sessão para que os senhores edis pudessem discutir a conveniência ou não da inclusão de um projeto de Lei do Executivo nos moldes em que foi redigido, em regime de urgência (quando a propositura é deliberada, votada e aprovada na mesma sessão), por conta de certas provocações de uma das partes, dois vereadores quase partiram para o pugilato. Conta quem viu (e quem ajudou a segurar os contendores) que a disposição para os tabefes era gigantesca. Todos sairam da sala “secreta” assustadíssimos. Porém, nada vazou para as mais de uma centena de pessoas ali presente. Nem um som, nem um grito, nem um barulho. Ajeitados os ternos e penteados, todos voltaram a plenário. Para ouvirem mais de uma hora de explanação da secretária municipal de Educação, Eliana Monteiro.

FALANDO NISSO II
A secretária foi à Câmara porque queria mostrar para os senhores vereadores as “entranhas” da Educação Municipal, para conforme ela, mudar a opinião deles sobre sua Pasta. Ela reclama que os vereadores vivem dizendo que a Educação é uma secretaria rica, que tem muito dinheiro, muitos funcionários e poucos resultados. Com aquela explanação, então, ela esperava dissipar estas impressões, ao mostrar que a secretaria nem é tão rica, não há tanto dinheiro assim, que há funcionários na medida do necessário, “que trabalham, sim”, e resultados. Porém, de tudo o que foi falado e mostrado em uma hora e dez minutos, restou uma simples pergunta: se era aquele o relatório de 2009, onde foram gastos, então, os mais de R$ 19,327 milhões informados pela secretária? Pelo menos o nível de ensino e de aprendizado melhorou no ano passado? Disso ela não falou.

PARA NÃO RIR
Embora o objetivo fosse esse, não deu para rir nem um pouco com aquela reportagem-denúncia-humorística do “CQC” de ontem (22) à noite, na Band. Na opinião do blog, uma das mais importantes peças jornalísticas já produzidas pela TV, embora o feitio do programa não seja o de jornalismo, mas de humor. Mas ali estavam imagens muito tristes, para se rir delas. Sem querer, a turma do “CQC” deu aula de jornalismo investigativo. Não me incluo entre os aficionados do programa, aliás, nem gosto do formato. Exatamente pelo feitio híbrido jornalismo-humorístico/humorismo-jornalístico que o programa ostenta. Mas, tudo bem, ontem o “CQC” foi jornalístico. E dos melhores. Recomendo, para quem não viu, acessar o site da Band TV que deve estar lá a íntegra do “flagra” dado na turma do prefeito Rubens Furlan, do PMDB, em Barueri, cujo irmão é secretário municipal de Educação da cidade. O comportamento do prefeito e seus asseclas foi de um caradurismo de causar arrepios. Sem contar o destempero do prefeito para cima do “repórter” e de todos daquele programa. Uma peça rara do bom jornalismo televisivo. Sem graça nenhuma. Ao contrário, muito sério. Seríssimo.

EM TEMPO
Rubens Furlan, o prefeito, é pai daquela princesinha chamada Bruna Furlan, que quer ser candidata a deputada estadual, e que nos primórdios do Governo Geninho esteve na cidade às voltas com o Olímpia FC, com direito a foto e tudo o mais abraçadinhos todos. Furlan, inclusive, é aquele prefeito que no começo do ano passado doou para Olímpia uma ambulância seminova, lembram? Só que esta veio sem GPS. Ao contrário da TV de plasma doada pelo programa “CQC” à Secretaria Municipal de Saúde da cidade que os Furlan governam. Aliás, hoje Geninho e os Furlan já não tomam chá na mesma mesma. É que caiu a ficha da Bruninha. Vai peitar Rodrigo Garcia e sua trupe?

A SANTA CASA E A JUSTIÇA DA CAPITAL

Amigos do blog, inicialmente quero me desculpar se os cansei com aquela ‘presepada’ discussão de dias atrás, mas julguei importante torná-la pública por questões éticas e, principalmente, com o fito de colocar, publicamente, as coisas nos seus devidos  lugares. Mais não falarei. Prometo.

NÃO É UM CARTÃO DE VISITAS?

NÃO É UM CARTÃO DE VISITAS?

#*#

Mas, o assunto da semana, claro, continuou sendo a Santa Casa de Misericórdia de Olímpia. Indefensáveis as posições do interventor nomeado por Geninho (DEM), seu vice Gustavo Pimenta (PSDB). Tantas inovações pretendidas parece ter o objetivo único de encobrir a malfadada e desnecessária intervenção perpetrada pelo Executivo Municipal naquele hospital. Visto que nada há para se fazer ali a não ser solucionar a paralisação dos médicos, o interventor começa a procurar ‘pelo em ovo’, a inventar problemas a serem resolvidos. Para ficar claro ao amigo que me lê agora, todos os demais ítens citados pela promotoria e até mesmo falado e repisado pelo prefeito, interventoria e secretária de Saúde, são questões antigas, já do conhecimento do próprio promotor Gilberto Ramos Júnior, sem que ele visse neles uma razão para pedir intervenção. Fê-lo agora, com a paralisação dos 33 profissionais do plantão à distância – que certas figuras chegaram a dizer que não é necessário. E para corroborar com a idéia comum de que houve muita ‘lambança’ em torno desta questão, é só o amigo ler abaixo um extrato da decisão exarada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, em ação cautelar com pedido de efeito suspensivo impetrado pela provedoria da Santa Casa, contra decisão da magistrada Andréa Galhardo Palma, que condenou o hospital a pagar os médicos, e eximiu a prefeitura da responsabilidade de auxiliar neste pagarmento. Lembram que ela disse que a prefeitura não era parte interessada e a excluiu do processo, o que acabou culminando na paralisação e, consequentemente, na intervenção? Pois pode ser que tenha havido erro de interpretação na questão, erro até mesmo insinuado pelo Ministério Público que, com a intervenção ‘recomendada’, indiretamente contrariou a decisão da juiza, porque jogou para cima do município não parte, mas toda a responsabilidade da gerência hospitalar. Não foi? Mas, voltando ao cerne da questão, leiam abaixo – e tentem traduzir, é difícil! – o extrato da decisão:
SP – Diário da Justiça de São Paulo – Caderno 2 – 19/03/2010-TRIBUNAL DE JUSTIÇA – SÃO PAULO – SEÇÃO III – Subseção V – Intimações de Despachos Seção de Direito Público – DESPACHO: Processamento 6º Grupo – 13ª Câmara Direito Público – Palácio da Justiça – sala 315 – Nº 990.10.082380-9 – Agravo de Instrumento – Olímpia – Agravante: Santa Casa de Misericórdia de Olímpia – Agravado: Nilton Roberto Martines (E outros(as)) – Agravado: Prefeitura Municipal de Olímpia – DESP. FLS.101: VISTOS. 1- PROVEJO O PEDIDO DE EFEITO SUSPENSIVO, POIS PRESENTES SEUS PRESSUPOSTOS DE ADMISSIBILIDADE, EX VI LEGIS. (…). 2- DISPENSADA INFORMAÇÃO DO JUÍZO A QUO. 3- INTIMEM-SE OS AGRAVADOS PARA RESPONDER, CONSOANTE O DISPOSTO NO ART. 527, V, DO CPC. 4- INT. SP.5/3/10 (A.) RICARDO ANAFE – DES. RELATOR. FICAM INTIMADOS OS AGRAVADOS, NAS PESSOAS DE SEUS PROCURADORES, GILSON EDUARDO DELGADO E EDILSON CESAR DE NADAL, A RESPONDEREM AOS TERMOS DO AGRAVO, NO PRAZO COMUM, DE VINTE DIAS. – Magistrado(a) – Advs: OSCAR ALBERGARIA PRADO (OAB: 126309/SP) – Gilson Eduardo Delgado (OAB: 123754/SP) – Edilson Cesar de Nadai (OAB: 149109/ SP) – Palácio da Justiça – Sala 315.

TRADUZINDO
Perceberam que tem três advogados na peleja? Pois bem, Oscar Albergaria Prado é representante na ação da Santa Casa; Gilson Eduardo Delgado é representante dos médicos, e Edilson César De Nadai repesenta o município. Prado deu entrada ao agravo de instrumento, ação cautelar com pedido de efeito suspensivo junto ao TJ-SP em nome do hospital, contra Nilton Roberto Martinez e outros(as) porque ele e os demais assinam a ação primeira, aquela que cobra do hospital e da prefeitura, o pagamento pelos plantões à distância, da qual a juiza Palma eximiu a prefeitura. A ação foi proposta por Gilson Delgado. E Edilson De Nadai foi quem entrou com agravo anterior, visando exatamente excluir a prefeitura do feito, o que em primeira instância conseguiu, mas que pode estar caminhando para ser derrubado agora, pela Justiça da Capital. Sendo assim, feito julgado em primeira instância, a cautelar foi para evitar que os médicos executassem a ação, o que inclusive acarretaria multa à Santa Casa, de R$ 1 mil por dia, pelo não pagamento de imediato. A juiza não aceitou o pedido de efeito suspensivo (não execução da decisão), razão pela qual o hospital recorreu para São Paulo. Isso quer dizer que, enquanto a ação não for julgada, fica suspensa a execução.  

CADA UM NO
SEU QUADRADO
Outra nitroglicerina pura: decisão do TJ-SP manda os funcionários remanejados por aquela lei de 2003 do ex-prefeito Carneiro, voltar cada um para sua função original. Situação complicada, porque já estaria valendo desde hoje. Ou seja, o que tiver que fazer visando derrubar esta determinação da Justiça, a assessoria jurídica do prefeito Geninho (DEM) terá que fazer neste final de semana, para já na segunda-feira poder enxergar alguma luz no fim do túnel. Leiam, abaixo, o extrato da decisão do procurador-geral Ademir Benedito, do TJ-SP, sobre o caso:
19/03/2010 – PREFEITURA MUNICIPAL DE OLIMPIA-SP – Diário da Justiça de São Paulo – Caderno 2 – 19/03/2010-TRIBUNAL DE JUSTIÇA – SÃO PAULO – SEÇÃO III – Subseção V – Intimações de Despachos – Órgão Especial, Câmara Especial e Recursos aos Tribunais Superiores – DESPACHO – Processamento do Órgão Especial – Palácio da Justiça – sala 309 – Nº 994.09.224238-6 (0183918.0/6-00) – Direta de Inconstitucionalidade – São Paulo – Recorrente: Procurador Geral de Justiça – Recorrido: Prefeito Municipio de Olimpia – Recorrido: Presidente Câmara Municipal de Olimpia – R. despacho de fls. 10/11:…Diante do exposto, defiro o pedido de liminar, com efeito ex nunc, suspendendo a vigência e a eficácia do artigo 11 da Lei Complementar nº 20 de 28.02.2003 do Município de Olímpia até final julgamento desta ação. Solicitem-se informações à Câmara Municipal e ao Senhor Prefeito Municipal de Olímpia, comunicando-o desta decisão. Cite-se o Dr. Procurador Geral do Estado e, a seguir, encaminhem-se os autos à D. Procuradoria Geral de Justiça para manifestação final. – Magistrado(a) Ademir Benedito – Advs: Edilson Cesar de Nadai (OAB: 149109/SP) – RICARDO JOSÉ FERREIRA PERRONI (OAB: 159862/ SP) – Palácio da Justiça – Sala 309

TRADUZINDO II
A decisão acima trata-se de uma enorme dor de cabeça para o prefeito curar. Porque a última decisão da Corte havia sido favorável a ele, no sentido de que os funcionários permaneceriam nos cargos até o final da ação, até o último julgamento. Ele havia conseguido isso via liminar, e com argumentos fortes. Então, estava tranquilo. Mas, agora a coisa se inverteu, e ele e sua assessoria terão que correr para evitar o maior rebuliço na segunda-feira. Agora, o caminho a ser percorrido, segundo informações, é o do Superior Tribunal de Justiça-STJ, para tentar um efeito suspensivo ou a derrubada da liminar. Quanto ao citado artigo 11 da lei, ele está no “Capítulo II – Do Enquadramento”, e diz: “Artigo 11 – Através de portaria do Prefeito Municipal será feito o enquadramento dos atuais servidores, nos cargos efetivos constantes do Anexo I da presente lei, observando-se as seguintes normas: I – Considerando-se o seu vencimento básico; e II – Sua atual atribuição.” É exatamente isso tudo que a Justiça acaba de derrubar. Ou seja, quem era atendente voltará a sê-lo, quem era auxiliar disso ou daquilo voltará a sê-lo e assim por diante, caso não se comnsiga reverter a decisão.

O LIXO
Não bastasse o problema vivido nos últimos dias com o ‘imbróglio’ da empresa contratada para a coleta terceirizada do lixo na cidade, o prefeito Geninho agora tem outro ‘abacaxi’ para descascar neste âmbito: o pedido de Ação Direta de Inconstituciinalidade-Adin contra a taxa de coleta de lixo, que no ano passado foi reajustada em quase 130%. Os vereadores João Magalhães (PMDB), Priscila Foresti, a Guegué (PRB), Guto Zanette (PSB) e Hilário Ruiz (PT), deram entrada na ação segunda-feira passada, contestando não a cobrança em si, que é legal, mas o aumento exorbitante, confiscatório, praticado pelo Executivo. A taxa de lixo, muitos se lembram, acabou ficando mais cara do que, às vezes, o próprio IPTU. A Adin foi proposta diretamente em São Paulo, na Procuradoria de Justiça. Agora é aguardar a manifestação do órgão. Se entenderem ser inconstitucional a cobrança nos termos em que foi feita, instauram processo. Condenado, pode ser que o município tenha que devolver dinheiro ao contribuinte.

PARA O BEM DA DISCUSSÃO, VIA DEMOCRACIA

Amigos do blog, para o bem da discussão democrática, torno público o debate travado entre este blogueiro e o colega do site de notícias Leonardo Concon, que se irritou profundamente com os posts feito aqui na sexta-feira passada, e respondeu via comentários, sob o pretexto de não me “promover” com suas ilustres escrivinhações. Mas, como o debate é salutar e é próprio da democracia jornalística que seja dado amplo conhecimento a todo tipo de discussão que possa jogar luz sobre trevas, tomo a liberdade (mesmo sabendo que isso poderá irritá-lo ainda mais profundamente), de abrir para um número muito maior de pessoas, a leitura desta discussão (também sabendo que muitos já a leram mesmo no espaço reservado a comentários). Quem não se inteirou do assunto deve acessar o post anterior, “A auto-negação como forma de escapismo”, para se inteirar do contexto e entrar no assunto.

  1. Sou obrigado a responder neste espaço porque, no meu blog, ou site, ou portal de notícias, como queiram, não vou mexer neste assunto. Os leitores não merecem e não vou, mais uma vez, promover o nobre amigo e suas opiniões igualmente controversas e cheias de viés e senões.
  2. Orlando, me perdoe, mas vc de novo peca ao buscar, excessivamente, o lado que acha crítico dos fatos. Há um demérito, sim, em ser site especializado em noticiar fatos oficiais porque, como sabe, o meu blog, ou site, ou portal de notícias, em qualquer ordem, mas é um espaço virtual onde se lê fatos e informações, eu procuro variar e colocar de tudo um pouco, ou um pouco de tudo, como queira. E, depois, há o compromisso com colaboradores comerciais de haver essa diversidade.
  3. É claro que tenho trânsito livre na prefeitura, com o prefeito, com secretários e assessores. Como profissional, se assim não agir como obter as informações e sempre, mas sempre mesmo, fato que vc nem sempre cumpre, ouvir o outro lado? Aliás, somos diferentes: primeiro, eu pergunto. Depois, atiro. É por isso que prefiro não noticiar coisas que já me foram explicadas, ou então fazer a matéria já com os dois lados.
  4. Como no caso do lixo de uma empresa que vc e seu parceiro da rádio Menina noticiaram de um ouvinte sem ao menos irem lá, checar, comprovar. Querem ser moderninhos, democráticos, ouvindo a tudo e a todos sem ver a cara e a credibilidade, assim quebram suas próprias caras.
  5. O meu blog é um blog. Sabia que o site da FORD internacional é um BLOG? que o site de grandes empresas são BLOGS? O formato blogue hoje é universal, rápido, permite comentar, permite que todas as matérias estejam no topo, ou espalhadas em miniaturas, e assim democratiza-se a informação. São BLOGUES:
    Ebay, Techcrunch, Yahoo, Digg Blog, Perez Hilton, Ford, Wall Street Journal (PARA VOCÊ NÃO DEVERIA, NÉ? MAS É BLOG), Rackspace, Sony, People Magazine, Samsung, Copyblogger, Playstation, Blogs del NYTimes, Wired, Mozilla Firefox, Giga OM, CNN, Network Solutions, Flickr, Download.com, cPanel, General Electronic (GE), ProBlogger, Thinkprogress, Slashfilm, Globalvoicesonline, Yankodesign, e a toda poderosa Globo.com.
  6. Ah… mas blog é diário. Blog é para opinar? Blog é para inventar notícias? Não, amigo Orlando. Não é. Sei que vc começou primeiro e rendo as homenagens ao saudoso Olimpianews, mas de longe, me perdoe, o Blog do Concon se parece com ele, mesmo porque hoje eu noticio praticamente 24 horas, sou pago para isso, não pelo Geninho, mas por empresas como Thermas, Guarani, Faer, Stop Lanches, Micheletto, e outras tantas que estão no ar e outras que virão nos próximos dias. Tiro a minha sobrevivência do meu escritório e, graças a Deus, estamos evoluindo, Orlando. Aguarde novidades. E, desta vez, não será BLOG, viu? Hoje, não tenho patrão. Vivaaaaaaaaaaaaaaaaa… nunca precisei e não vou precisar receber de patrões ocultos, que se escondem em contratos de gavetas ou em consultórios.
  7. Você não foi censurado na Carta à Redação. Houve bom senso da direção. Você precisa tomar cuidado com o que escreve, é rápido para digitar e acaba tropeçando nas cedilhas. Esqueça o meu blog, já que ele o incomoda e o fez até inovar, mesmo que timidamente, um site que estava parado há mais de ano. Sei que correu atrás de algumas mudanças. A cidade é pequena. Mas, inovar é bom, Orlando. Se precisar de dicas, te mando. Tem plugins e templates ótimos para vc dinamizar.
  8. Deveria consultar o site http://www.alexa.com. Digite o seu endereço e depois o meu. Compare. É um site internacional de medida de tráfego, reconhecido por agências de publicidade e pelo Google. Veja a quantos milhões estamos distantes do tráfego. Não sou maluco e, ao contrário do que escreveu, vou, sim, em uma direção certa: ao leitor que quer ler, saber. Veja meus comentários. O nível. Não tem fantasmas, como aqui tem. Não tem pseudônimos. E se tiver, eu sei quem são. São 1700 acessos diários com 4 mil visualizações diárias de páginas. Duvida? Acesse o Google Analytics, da Google, e verifique. Veja na busca de Olímpia, no Google, quantas vezes aparece Blog do Concon. Digite Leonardo Con… e o Google completará para você. Faça o teste.
  9. Daí, amigo. Esqueça o Blog do Concon. Eu já o esqueci como blogueiro, radialista, jornalista. Vc já tirou o seu MTB para trabalhar? Eu já. Tenho o meu aqui. Faça o seu trabalho, e bem. Não caia em contradições. Eu evito cair e faço bem, acho, o meu trabalho.
  10. Parabéns para o Planeta. Corrigiu uma informação que vc maldosamente escreveu. Ache o que achar. Eu trabalho, ganho para isso e todos sabem quem me paga: basta olhar os dois sidebars, desculpe, laterais. Estão lá meus patrões.
  11. Abraços e bom final de semana.
    Leonardo Concon
    http://www.leonardoconcon.com.br
  12. Comentário por Leonardo Concon — 12 de março de 2010 @ 21:22
  13. COMENTO: Muito bonito tudo isso que escreve, Leonardo, mas não foi ao ponto. Tergiversou, deu a volta, tagarelou. Mas, onde estão os fundamentos que provam que seu sei lá o que não é oficial? O senhor ouove então os dois lados? Em que circunstâncias. Prove-me que faz isso quando não é do interesse do poder ou de seus mantenedores, que desconfio bem quem são. Para pensar: Um cidadão que faz uso de ferramenta de propriedade pública, não se torna, queira ou não, um escravo dos interesses dos poderosos de plantão? Foi o que um amigo me perguntou hoje cedo. Não entendi muito bem, mas passo-te o enigma. Decifre-o se quiser.Comentário por Orlando Costa — 13 de março de 2010 @ 13:39
  14. Poxa… Fico impressionado como está havendo uma inversão de valores. Se esse Blog que se diz ser o “must”, o “expert”, o “justiceiro”, o melhor “informador”, etc…etc…, não entendo porque demonstra tanta preocupação com seu trabalho e com suas críticas ou opiniões ???? Devería nem se preocupar em ler o seu trabalho, concorda???? “coisas de capital do folclore ou agora, capital do pão e circo”. Abraços e bom trabalho a ambos os Blogs.Comentário por César Sousa Mendes — 14 de março de 2010 @ 12:05
  15. Orlando, o enigma é seu. Vc trabalha em um órgão público, de concessão pública: Rádio Menina AM. E hoje esta emissora pertence a um grupo político.
    Você trabalha em um semanário que, queira ou não, pertence à uma amiga minha, que é vereadora, e que pertence ao grupo da Rádio Menina AM, antes e depois de ser vereadora.
    Em qual lado vc está? Não está atendendo ao que os patrões lhe ditam?Meus mantenedores são empresas idôneas. O prefeito vai passar. O Blog não. Vc verá. E há outros projetos vindo aí, se Deus quiser. Eu sou o meu patrão. Escrevo o que quero, dentro da lei e do jornalismo ético. Sempre ouço os dois lados quando a matéria assim o exige. Quando há uma sentença, quando os fatos são claros, o espaço fica aberto, tanto para acrescentar no tópico quanto para comentar, desde que passe pela moderação, sem palavrões (eu não permito, como vcs deixam na Menina AM, chamar o senhor Valter Trindade de vários nomes, e de classificar o Daemo como ‘putaria’ – a emissora poderá ser questionada e colocada fora do ar, conforme o regime de concessão a ela fornecido).

    Quanto ao senhor César Sousa Mendes, o meu blog jamais disse ser o melhor, o justiceiro, o informador. O senhor deve estar se referindo ao Orlando Costa, com certeza, que diz que aqui tem o melhor texto informativo e que tem A VERDADE. O meu, informa, e está aberto ao senhor também. Eu só demonstro preocupação quando diz respeito ao meu nome, ao meu blog, e ao meu modo de agir publicamente.

    Por fim, Orlando, uma pergunta: então foi você que escreveu no Planeta News que o meu blog é especializado em notícias oficiais? Pela sua nota da Redação, foi sim. Outra coisa: vc fala em nome do Planeta aqui no Blog? Não foi censurado de o fazer? Já comuniquei o fato à diretora Priscila, a vereadora e diretora do jornal.

    Abraços a todos.

    Comentário por Leonardo Concon — 15 de março de 2010 @ 14:08

  16. COMENTO II: Primeiro, o caro escrivinhador vem de misturar alhos com bugalhos quando publica aquela estatística das páginas de NOTÍCIAS”, repetindo, NOTÍCIAS!, comparando com o meu blog, que é um espaço para OPINIÕES!, repito, OPINIÕES!, quando nada tem a ver uma coisa com a outra. Não há termos de comparação, por favor, atente para isso. Que insistência em querer provar que seu trabalho é melhor que o meu!Você quer provar o quê a quem, meu caro? Eu, de minha parte, não preciso provar nada a ninguém.
    E veja você: desde quando emissora de rádio é órgão público? Por favor, Leonardo, vai se informar melhor! Órgão público é todo aquele segmento sustentado com dinheiro público, e só com dinheiro público. Portanto, trata-se de uma empresa privada, de concessão pública. Por isso, quem deve ter muito cuidado é você, quando expõe com estardalhaço aquilo que seus mandantes – e não adianta negar, Leonardo, basta uma rápida passada de olhos no seu sei-lá-o-quê para ver isso, você quer enganar a quem? – lhe ordenam fazer, tipo te usando como estilingue para atirar a pedra, e as mãos deles se escondem. Não seja tolo. A Rádio Menina é uma empresa privada de concessão pública, não é órgão público e, portanto, não pode e não deve ser exposta à execração pública. As assessorias jurídicas dos seus mandantes não te explicam isso, né?
    Quanto a de que lado estou, basta ler o que escrevo, minhas opiniões e estarão dispensadas as explicações. Meus patrões, nada me ditam, exigem de mim apenass que seja profissional. E isso sou, com certeza. Já quanto a você….
    Há, e pode me explicar, quando, “dentro do jornalismo ético”, a matéria não exige que se ouça os dois lados, por favor?
    O que me espanta é sua preocupação, seu ‘xodó’ com as figuras do Governo Geninho, e com o próprio. Não se pode falar nada a respeito deles que o senhor se dói todo, delata, critica, sugere que processem, grita aos quatro cantos que seus ‘protegidos’ foram alvo disso e daquilo…Portanto, quanto à sua ‘independência’, como disse, basta uma rápida corrida de olhos sobre o seu sei-lá-o-quê…
    E quanto colocar a rádio fora do ar é o seu ’sonho de consumo’, não é, assim, faz coro com a turma do poder, que o que mais deseja é isso mesmo, não ter vozes discordantes na imprensa local, jogando luz no que é penumbra…Isso, já percebi, te incomoda, também….
    Sim, eu sou o redator deste jornal, fui eu quem escreveu aquela qualificação, porque acredito e tenho fundamentos que me dão esta certeza. E, depois, não falo em nome do Planeta no blog, o que disse lá, não é falar em nome de ninguém além de mim mesmo. Tenho opinião, e meu blog é exatamente para externá-la, goste quem gostar, quem não gostar, poste um texto, que meu blog também é aberto. Mas sem temor algum. E ninguém vai me censurar de falar sobre o que eu quiser neste espaço. Engano seu achar que me intimida me ‘delatando’. Além do que você age movido por um cinismo inqualificável, porque até, pouco tempo atrás vivia tecendo críticas à vereadora? O que foi, teus mandantes pediram para amenizar?
    Por fim, Leonardo, se situa, pô! Faça o seu trabalho, que eu faço o meu! Comecei antes, na minha. Áh, e não mudei meu blog váriass vezes como você disse, só mudei a ‘fachada’ dele uma vez, até por sugestão de amigos, para facilitar a leitura. Mas isso foi no ano passado, quando o senhor nem existia – se existia, eu o desconhecia por completo. Para de me policiar, me patrulhar…Se sua estrela não brilha como devia – ledo engano pensar que estás ‘abafando’ – não tenta apagar a minha. Até porque não irá, nunca, conseguir….É que eu tenho luz própria….Comentário por Orlando Costa — 15 de março de 2010 @ 14:45
  17. Tá bão… fazer o quê….Comentário por Leonardo Concon — 16 de março de 2010 @ 3:35

A AUTO-NEGAÇÃO COMO FORMA DE ESCAPISMO

NOSSA HOMENAGEM A GLAUCO*
NOSSA HOMENAGEM A GLAUCO*

Amigos do blog, inicialmente quero me desculpar com vocês pela demora em atualizar este blog ao longo desta semana, o que ocorreu por motivos imperativos. Mas, estamos de volta hoje, começando com um ‘assuntinho’, porque detesto toda vez que tenho que bater nesta tecla. E é claro que estamos falando da figura ímpar, Leonardo Concon, e de seu ‘blog maluco’ (plunct, plact, zum) que não vai a lugar nenhum (querem apostar que ele vai entender isso como indicativo de imobilidade?). Muito bem, e o que ele aprontou desta vez? Bronqueado com um pequeno trecho de matéria inserida na edição do Planeta que circulou sábado passado, tratando do problema da Santa Casa, ele encaminhou para a redação o seguinte e-mail reproduzido abaixo, com o pedido de que fosse publicado como “direito de resposta”, o que alliás não cabia, já que não era ele o objeto da notícia, por isso foi publicado como “Carta à redação”:

CARTA À REDAÇÃO – Na última edição, este jornal, ao se referir ao blog em matéria sobre a intervenção na Santa Casa, publicou a seguinte informação: “Em entrevista divulgada como “exclusiva” a um site de notícias especializado em informações oficiais do Governo, Ramos Júnior disse, entre outras coisas, que ‘a intervenção vai além da questão dos médicos’”. O redator deve estar equivocado. O meu blog, o Blog do Concon, não é mantido com dinheiro público e nem é especializado em informações oficiais que, por sinal, a população merece recebê-las integralmente, sem comentários e distorções de pseudos analistas, estes sim, especializados na contra-informação. Tanto publicamos o que o governo nos envia, como mantenho informações variadas, da região, e até do País se houver interesse local. O blog é aberto a comentários, inclusive não publicando anônimos e nem e-mails falsos, muito menos agressões verbais ou falsos comunicados. Não recebo de nenhum grupo político, o blog se mantém com parcerias de comerciantes e empresários reconhecidos pelos seus perfis de credibilidade. A informação trazida pelo PlanetaNews não procede, inclusive macula a imagem do blog, dando a impressão que estou a serviço de um lado da notícia, quando a realidade das auditorias realizadas diariamente inclusive pela Google Analytics comprovam que a audiência vem, exatamente, pela linha adotada pelo Blog. É preciso respeitar, e não zombar, quando não se pode fazer melhor. Aliás, o blog preenche a lacuna de um jornalismo online que Olímpia ameaçou ter, mas não do nível que o Blog do Concon hoje orgulhosamente ostenta”.

ENE DA ERRE
Amigos, segue abaixo a Nota da Redação que redigi para inserir no pé dos comentários do blogueiro (sic), porque os reparos eram endereçados a mim, redator, mas que, infelizmente, sejam lá por que razões forem, a editoria do Planeta censurou: “NR: O Planeta mantém sua opinião (se preferissem, ao invés de cortar, eu poderia colocar ‘o redator mantém sua opinião’). Não houve equívoco nenhum, o Blog do Concon é sim, especializado em notícias oficiais do Governo Municipal, e não há demérito nenhum nisso. A menos que ele encare como demérito ter a primazia das informações que emanam dos corredores do poder, primeiro para seu blog (que na verdade é um site de notícias). Se for assim, que não as publique. Mas, se ele próprio reconhece que ‘a população merece recebê-las integralmente’, não deveria se irritar tanto se esse viés do seu veiculo é revelado à opinião pública.”

COMENTO
O nobre blogueiro (sic) vive se ufanando de fazer o melhor isso, o melhor aquilo e coisas tantas que o valham. E sempre tem duas pedras nas mãos para atirar contra este humilde escriba. Tenta sempre, ele sim, desqualificar o trabalho que fazemos. Confesso que não dou a mínima para o que ele faz ou escreve. Me incomoda, isso sim, a forma como ele escreve. E a visão de informação distorcida que ele tem. Suas notícias são sempre ferinas, cheias de senões e viés provocatórios, parece que emanado de um poder superior a ele. Reparem os amigos nos detalhes de suas informações. Aliás, ele precisa definir se o que faz é blogar ou noticiar, porque uma coisa está bem distante da outra. se bloga, então pode emitir opinião, mas deveria formatar diferente seu espaço. Se noticia, não poderia fazê-lo da forma como faz. Ou será que ele acabou de inventar um formato novo de dar informações? Já repararam que quando se trata de infomações emanadas dos corredores do Palácio 9 de Julho, ou de algum dos edis que têm, digamos, estreitas relações com a pessoa em questão, os textos são sempre afirmativos, superlativos, festejados, mas que se houver desafetos como parte interessada, eles se tornam especulativos, agressivos, até ofensivos e difamatórios?

LEIA ACIMA
Não precisamos ir longe, basta o amigo ler seu e-mail acima para entender o que digo. Ele não se explica, prefere o tom da agressão, e de se escudar na audiência que todo site de notícia hoje tem. Se quiser, posso agora mesmo criar aqui um site de informações e garanto que não ficarei atrás em termos de acesso. É noticia fresca, da hora, independentemente de seu viés. E quem não as quer? Então, usar deste argumento é a mais pura bobagem. Incusive já me antecipei a ele, há quase nove anos atrás (ou sobre o que ele está falando quando diz: “Aliás, o blog preenche a lacuna de um jornalismo online que Olímpia ameaçou ter…)” neste formato de divulgação de notícias. Fez história, abriu caminhos, desfraudou bandeiras, exatamente porque não ficou apenas na ameaça. Aquele sim, o ‘Olímpianews’, lembram?, publicava informações sem amarras. E todo tipo de informação. Todas locais. Porque notícia de fora se vê em outros portais.

NO MAIS
Poderia aqui elencar uma série de evidências para corroborar aquilo que o irrita tanto, que é a pecha de fazedor de jornalismo oficialesco. Mas, acho que seria ‘chover no molhado’ e, pior que isso, prejulgar meus leitores-amigos e os que o leem também, porque ninguém melhor do que estes, para separar o joio do trigo. E lá tem muito joio e muito trigo para serem separados. Portanto, reitero: o Blog (sic) do Concon é, sim, especializado em informações oficiais do Governo. E pergunto: Qual o demérito disso?

LAMBANÇA
A notícia-bomba desta semana (que aliás ainda não vi publicada no blog [sic] do Concon. O que foi, não obteve autorização expressa ou o texto ainda não está ‘formatado’?) foi, claro, a derrapada perpetrada pela Multi Ambiental, empresa que coleta o lixo terceirizado da cidade. Como foi expulsa – mas somente após quatro meses de uso e abuso da área do ‘lixão’ desativada – pela prefeitura, a empresa tinha que encontrar outra área para fazer o transbordo das cerca de 35 mil toneladas para o transporte para o aterro sanitário de Catanduva – que aliás, corre um boato que não estaria mais recebendo o tal lixo, por querelas políticas – recorreu a um olimpiense que tem estreitas relações com o prefeito Geninho. Dele, alugou uma área de 70×70 na entrada de Guaraci, e há dois dias fazia o transbordo, de forma ilegal porque não tinha autorização da Cetesb, quando a polícia chegou. Máquina apreendida, a delegada chamou um perito criminal e um fiscal da Cetesb, para investigar se houve dano ao meio ambiente. A partir daí, a empresa ficou sem ter onde fazer este transbordo (que é a troca de caminhão – o do lixo joga o que coletou no chão, a pá-carregadeira recolhe do chão e joga no outro veículo que o leva até o aterro, em Catanduva).

À LULA
O mais inacreditável neste episódio, é o secretário de Obras vir a público e dizer que “não sabia” que a emprea havia alugado esta área lá fora, em Guaraci. E, pior ainda, é dizer que “não sabe” onde a empresa está ‘transbordando’ 35 toneladas de lixo todos os dias, desde o episódio, na quarta-feira à tarde. Como assim, ou, como diria o Arnold, “que papo é esse, Gilberto Cunha?” No contrato de concessão consta que a empresa teria que providenciar, em 30 dias, um terreno para fazer a troca de veículos com seu lixo. Não cumpriu. A prefeitura fez vistas grossas até então, com a área antiga, apesar de tantas denúncias. Expulsa a empresa do local. Ela vai para fora da jurisdição territorial da cidade onde coleta o lixo, e o secretário vem e diz que “não sabia” de nada? Aluga uma área em caráter de emergência de pessoa ligada ao Governo e diz que “não sabe de nada?” E mais: que não considera isso um fato grave? Um dos episódios mais trê-lê-lê do presidente Lula, vê-se agora que fez escola.

A PROVA
Na palavras do diretor-superintendente do Daemo, hoje pela manhã na Rádio Menina-AM, a prova cabal daquilo que classifiquei como protofascismo. Quem ouviu sabe do que estou falando. E para quem não ouviu, trata-se da maneira absolutista com que aquele Departamento vem lidando com os consumidores de sua água, sem distinção. Até lei própria tem. E ela é sempre invocada quando se trata de justificar atitudes – até de força.

PERGUNTA
O prefeito é contra a greve dos professores do Estado? Porque o Blog (sic) do Concon é, então eu pensei que….

LIXO ATÔMICO
Não levem a sério se não quiserem (já que o tal Blog (sic) detesta pseudos-analistas), mas dizem que a questão do lixo terceirizado de Olímpia extrapola a divisa Olímpia/Catanduva. E extrapolaria, também, as raias da relação técnica e de prestação de serviços. Parece haver um ‘imbróglio’ ainda em nível de bastidores atrapalhando a boa relação do grupo no poder com o grupo da empresa, que teria fortes ligações com um deputado federal que não estaria mais tomando café na mesma mesa do pessoal do aterro sanitário em Catanduva. Sendo assim, estaria havendo choque de interesses. Primeiro, porque ao grupo no poder interessa o aterro de Catanduva, que consta ser de propriedade de um primo do poderoso de turno. Segundo, porque ao tal deputado não estaria mais interessando movimentar aquele aterro. E terceiro….bem, aí só o tempo dirá. Mas, no frigir dos ovos, não será exagero afirmar que muito provavelmente, o contrato da Multi Ambiental não será renovado, daqui a dois meses. Repito: os amigos considerem estas notas se quiserem, tá? Não vamos contrariar o porta-voz. Combinado?

 

*O cartunista Glauco Villas Boas, 53, foi morto nesta madrugada (de sexta-feira, 12) em sua casa, em Osasco, após uma tentativa de sequestro. Raoni, 25, um dos filhos do cartunista, também morreu durante uma discussão com dois homens armados que invadiram a casa.

A ‘MALHA FINA’ SOBRE GASTANÇA DO TURISMO VEM AÍ?

PIMENTA NA SANTA CASA É REFRESCO?

PIMENTA NA SANTA CASA É REFRESCO?

Amigos do blog, a menos que estejamos redondamente enganados e as coisas já tenham sido devidamente ‘corrigidas’, Olímpia vai cair na ‘malha fina’ do Ministério Público Federal-MPF, por conta dos R$ 500 mil ou mais gastos no ano passado com a festa do peão. Sabiam os amigos que até hoje, sábado, 6 de março, o prefeito Geninho (DEM) ainda não prestou contas da festa passada? E já anuncia, com pompas e circunstâncias, a próxima, para junho. Os amigos se lembram que o dinheiro foi liberado via emenda da deputada federal Luciana Costa, aquela que entrou na Câmara Federal no lugar do Dr. Enéas, com alguns milharezinhos de votos. O dinheiro veio, a festa aconteceu, cobrou-se ingresso do povo, apesar de ter se usado ali cerca de R$ 1 milhão em recursos públicos, mas até agora não se prestou contas a quem de direito, o Ministério do Turismo. Quem confirma a não-prestação de contas é o ‘Portal Transparência Brasil’, com a seguinte publicação:
Número do Convênio SIAFI:703594
Situação:  Nao informado
Nº Original:  00374/2009
Objeto do Convênio:  OLÍMPIA RODEO FESTIVAL
Orgão Superior:  MINISTERIO DO TURISMO 
Concedente:  COORDENACAO-GERAL DE CONVENIOS – CGCV
Convenente:  OLIMPIA PREFEITURA
Valor Convênio:  500.000,00
Valor Liberado:  500.000,00
Publicação:  26/06/2009
Início da Vigência:  08/06/2009
Fim da Vigência:  27/09/2009
Valor Contrapartida:  83.645,04
Data Última Liberação:  08/07/2009
Valor Última Liberação: 500.000,00
Portanto, ainda que as milícias genistas estejam arrepiadas porque lanço senões contra a ‘menina dos olhos’ do prefeito, sua assessoria e grande – talvez a maior – parcela da população, a verdade deve sempre ser mostrada. E contra números, valores, registros, não há argumentos. Da relação de convênios liberados e executados para Olímpia por meio dos ministérios e secretarias federais, somente este acima, relacionado à festa do peão, consta como não informada a situação atual, ou seja, não há demonstrativo de regularidade no cumprimento do convênio. Por que será? Trago este assunto à baila porque vejo hoje no jornal ‘Diário da Região’, de Rio Preto, que o MPF vai entrar de sola na questão das verbas federais liberadas para eventos na área do turismo, mais especificamente festas de peão e de outros gêneros, além de…portais decorativos. A investigação teve início com o promotor público federal de Jales, Thiago Lacerda Nobre, incomodado com a gastança de recursos públicos com festas que nada acrescentam ao cidadão, nestes tempos de penúria. E agora o procurador da República em Rio Preto, Álvaro Stipp, tomou para si a investigação em vários municípios da região que receberam recursos com finalidades festeiras. Para clarear um pouco, leiam abaixo trecho da matéria publicada hoje no jornal rio-pretense:

“O Ministério Público Federal (MPF) de Rio Preto vai deflagrar investigação em prefeituras da região que receberam verbas do Ministério do Turismo desde 2007. O procurador da República Álvaro Stipp afirmou ontem que o objetivo é verificar suposto desvio e superfaturamento na aplicação de verbas federais em festas de rodeios, eventos diversos, construção de pórticos nas entradas dos municípios e obras – como a construção de praças. Stipp vai se aliar ao procurador da República na região de Jales, Thiago Lacerda Nobre, que também apura o caso.

O MPF vai instaurar procedimentos de aplicação dos recursos para cada cidade. ‘Determinei que fosse levantados todos os repasses após matéria do Diário. Acredito que vamos dividir o trabalho para cada procurador que deve ficar com algumas cidades’, afirmou Stipp. ‘Vamos instaurar procedimentos específicos para cada cidade. Serão investigações específicas dos repasses.’

A investigação será feita com base em reportagem do Diário, publicada em fevereiro, que revelou a destinação de R$ 56,9 milhões do Ministério do Turismo a 76 municípios da região nos últimos três anos.mA maior parte das verbas é proveniente de emendas parlamentares. Para festas de rodeio foram destinados R$ 16,4 milhões no noroeste paulista. Outros eventos festivos, como festas natalinas, consumiram mais R$ 14,3 milhões. Os portais construídos nas entradas dos municípios custaram R$ 1 milhão aos cofres públicos, o que totalizam mais de R$ 31 milhões.

Os procuradores vão decidir se a investigação vai priorizar convênios levando em consideração o tamanho da cidade ou o valor do repasse. ‘Tem cidades pequenas que não recebeu milhões, mas o tanto que recebeu é muito para se fazer qualquer festa. Se dividisse o dinheiro para a população seria melhor’, afirmou Stipp. ‘Particularmente, acho que é melhor (investigar) pelo tamanho da cidade, já que quanto maior o repasse mais fácil de desviar. Os valores repassados são grandes’, afirmou Stipp“. Pois então é isso aí. Olímpia é a 13ª cidade num ranking de 20 cidades a serem investigadas, em valores recebidos do Ministério do Turismo: R$ 928 mil. No nosso caso, particularmente, o que preocupa é o “não informado” quando a cobrança é a prestação de contas da festa do peão.

A propósito, para atestar a credibiliodade do ‘Portal da Transparência’, onde fomos buscar as informações sobre Olímpia, basta dizer que Stipp também vai buscar lá as informações que precisa. Leiam:
“Ele já determinou a funcionários da Procuradoria da República o levantamento dos convênios liberados aos município junto ao site Portal da Transparência. Com os dados em mãos, o MPF vai verificar, por exemplo, empresas que receberam os repasses, se essas empresas foram criadas pouco antes de receber o dinheiro e as notas de empenho e notas fiscais”. Isso não nos parece familiar? Pois é.

ESCORREGÕES
O governador José Serra cometeu outros escorregões feios durante seu discurso em Olímpia na segunda-feira passada. Como por exemplo dizer que era o Rio Turvo que ‘banhava’ Olímpia, ao discursar que a cidade tinha “um problema danado” para resolver que era o Rio Turvo, com apenas “20% do esgoto tratado”, ao falar sobre a estação de tratamento a ser implantada em Olímpia, ao custo de R$ 17 milhões. Para o governador – e ninguém o corrigiu, nem o prefeito – o esgoto de Olímpia é jogado direto no Turvo. Não é, governador. É no Cachoeirinha, depois de passar pelo Olhos D´Água, claro. Depois, ao falar das ações que estão sendo desenvolvidas em Olímpia – ele não disse se eram só do Estado ou se incluía o Governo Federal – revelou um valor de investimentos da ordem de R$ 36,7 milhões, “quase mil reais por habitante”, arrematou. Não dá, governador. Seriam, na verdade, R$ 734 mil por habitante. E mais: ao falar das vicinais, disse que a cidade já recebeu “dois quilômetros de asfalto por habitante”. Não dá, governador. Na verdade, cada cidadão teria recebido 0,00204 centésimos de metro de asfalto.

DETALHE
Se da vez em que esteve na cidade, em 2006, para lançar sua candidatura a governador Serra destampou a falação em defesa da Santa Casa de Misericórdia de Olímpia – “A situação da Santa Casa aqui é humilhante”, disse, entre outras coisas – desta vez, já no Governo e com plenos poderes de alguma coisa fazer, nem tocou no assunto. E nem deu chance para a imprensa local perguntar isso a ele, por questões da já narrada truculência de sua assessoria, bem como da própria arrogância do chefe do Executivo paulista. Deixa pra lá.

REFRESCANDO…
No dia 9 de março do ano passado, o site oficial da prefeitura municipal divulgava notícia sobre a Santa Casa de Misericórdia de Olímpia, com o seguinte título: “Santa Casa de Olímpia reconhecida como um dos melhores hospitais de SP”. E trazia texto assinado pela própria assessoria de imprensa do prefeito Geninho (DEM), vazado nos seguintes termos: “A Santa Casa de Misericórdia de Olímpia foi oficialmente reconhecida pelo Governo do Estado de São Paulo como um dos melhores hospitais que atendem pelo SUS. A informação foi recebida pela provedora Helena de Sousa Pereira esta semana (portanto, há exatamente um ano), através de ofício assinado pelo secretário da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata”. Segundo ainda o site, Barata disse o seguinte no ofício: “O seu hospital está entre os melhores do Estado, de acordo com pesquisa realizada pelo Governo do Estado de São Paulo entre os usuários do SUS-SP”. Ele ainda explicou a metodologia aplicada para esta conclusão: “Por meio de questionários enviados para as casas de aproximadamente 1,5 milhão de cidadãos, o estudo colheu informações de pessoas que passaram por consulta, internação, cirurgia ou exames nos hospitais públicos de São Paulo entre 2008 e 2009”. E segue o secretário Barata: “Além de confirmar as informações sobre os procedimentos médicos pelos quais passaram, os usuários puderam avaliar a qualidade e agilidade do atendimento dos profissionais e da infra-estrutura oferecida”.

…A MEMÓRIA
Extremamente entusiasmado com a boa nova em seu começo de Governo, o prefeito Geninho disse: “A Santa Casa, em especial a provedora Helena Pereira, e os funcionários, os médicos, os colaboradores, enfim, todos estão de parabéns. Da administração municipal, a certeza de que o hospital terá todo apoio necessário. Quando vereador, fui um grande parceiro na busca de recursos para a Santa Casa. Como prefeito, me considero ‘amigo da Santa Casa’, e a provedora Helena sabe que pode contar com nosso governo municipal”. Cai o pano.

ANTIDISCURSO
“(…) Ainda que vocês façam um acordo, ele vai pedir a intervenção, porque a intervenção é um ato do prefeito, ele faz se ele quer, é uma faculdade dele (…)”. Esta declaração foi pinçada de uma entrevista que o advogado Gilson Eduardo Delgado concedeu ao jornal “Folha da Região” de hoje, 6, quanto ao assunto intervenção da Santa Casa de Misericórdia. Ele dizia ter ouvido exatamente isso do promotor Gilberto Ramos de Oliveira Júnior, que havia “recomendado” a medida de exceção, por telefone, na segunda-feira, 1º de março. O advogado ligou para informar a Ramos Júnior que estava viabilizando o acordo com os médicos, que aceitariam, como aceitaram, os R$ 50 mil de imediato, e assim acabava-se a justificativa para o município botar suas mãos na instituição. O decreto da intervenção é datado de quarta-feira, 3. Acho que estas poucas palavras do MP joga uma pá de cal sobre o discurso oficial do prefeito Geninho (DEM) e seus comandados, de que “não queria” a intervenção. Ser era isso mesmo, então era só dizer “não, não vou intervir”. Fácil assim. O resto é névoa sobre horizonte turvo.

ARQUITETURA…
A intervenção na Santa Casa de Olímpia pelo Poder Público, na quinta-feira à tarde, seria mais um passo do prefeito Geninho rumo à aniquilação total de todas as figuras que ele imagina serem empecilho ao seu projeto de governo de 20 anos. A própria provedora Helena Pereira diz isso ao afirmar, também para a “FR”, que há motivação política nisso. “Eu tenho muito claro que o que está por trás disso tudo é o medo que eu venha ser candidata (a prefeito) futuramente, mas esse tipo de coisa não está nos meu planos”, declarou. Ela, que no parágrafo anterior havia revelado ter sido convidada por Geninho “várias vezes”, para ser vice em sua chapa. Assim, de grão em grão, o prefeito vai ampliando seu chão. Antes de Helena foi o ex-prefeito Carneiro, tornado inelegível por contas reprovadas (agora ainda mais, com as de 2004 tendo problemas). Antes ainda, havia sido o ex-vereador Niquinha – este mais por questões pessoais – que foi despejado de sua casa, no Teresa Breda, e ainda deve ser vitimado “por dentro”, já que o próximo ataque, dizem, será contra a Associação dos Funcionários Municipais, que Niquinha dirige, ainda que interinamente.

…DA DESTRUIÇÃO
Mas, a ‘lista de Maccarthy’ de Geninho, dizem, não pára por aí. Tem alguns outros nomes que, imaginando o prefeito que são detentores de alguma nesga de liderança política, estarão estas figuras irremediavel e implacavelmente sob os olhos do ‘Grande Irmão’. Alguns arriscam nomes – Hilário Ruiz, por exemplo, e até mesmo os ‘encantoados’ que escrevem bobagens para um semanário local já citaram outros – Magalhães e Guegué. E assim segue o corso, com suas velhas máquinas enferrujadas, velhas manhas e manias, bebendo na fonte turva do protofascismo. Valha-nos Deus.

POR QUE GENINHO QUER TANTO A SANTA CASA?

Amigos do blog, acaba de se concretizar a intervenção da Santa Casa. São muitas e controversas as opiniões sobre a decisão. Da parte do Poder Público, há sempre a evasiva de que não se queria a intervenção, que ela só ocorreu por recomendação do Ministério Público, que tal intervenção não era o melhor caminho para a solução do problema do hospital, e por aí afora. Falam assim o prefeito Geninho (DEM), a secretária municipal de Saúde, Silvia Storti, e o vice-prefeito, agora interventor-presidente, Gustavo Pimenta (PSDB). Da parte do grupo ligado ao hospital há a quase certeza de que o prefeito interveio na Santa Casa por que quis intervir. Os motivos? Um grande mistério paira no ar. Mas há quem arrisque um palpite político: o objetivo seria a destruição da imagem política da provedora Helena de Sousa Pereira. Já especulei sobre isso aquii em post anterior, lembram? Mas hoje ouvi também de pessoa insuspeita, a mesma impressão. Outra corrente entende que, se o prefeito de fato não quisesse intervir, não o teria feito. Bastava dizer “não”. Até porque, hoje pela manhã os médicos decidiram aceitar a proposta de R$ 50 mil mensais feita pelo hospital, protocolaram o acordo no processo e à zero hora desta sexta-feira voltam ao plantão de disponibilidades, a maioria deles. Pronto, bastava isso, o pivô da recomendação do promotor, e a necessidade da intervenção estava derrubada. Mas, surgiram novidades no documento do promotor, segundo o interventor-presidente. Agora não era só a paralisação, era também a questão da UTI, o déficit de quase R$ 600 mil, os funcionários e outros ‘apêndices’. Ou seja, ‘justificaram’ a intervenção, no entendimento de um observador interno. De onde tirar dinheiro? Interventor e secretária dizem não saber. Como resolver o problema?  Ambos dizem não saber. A impressão que dá é a de que eles lá chegaram sem saber o que fazer, então? Este observador não acredita nisso. Acha que eles sabem sim, e muito bem, o que vão fazer. Será o tal plano ‘B’ alardeado pelo prefeito? Sim, mas qual é este plano ‘B’? O interventor disse que não sabe, que não tem, que primeiro estão executando o plano ‘A’, que é a intervenção. Depois vem o resto. Assim, fica a pergunta no ar: por que Geninho quer tanto a Santa Casa? “Com certeza não é para sofrer desgastes desnecessários com mal atendimento, falta da pegamento, reclamações do povo, má vontade dos médicos e por aí afora”, tenta responder esta fonte. Tenta. Mas não decifra o enigma. E assim corre o risco de ser devorado. Como todos os demais que, cismando o prefeito, faça sombra ao seu projeto político de 20 anos.

INTERVENTOR CHEGA AO HOSPITAL

INTERVENTOR CHEGA AO HOSPITAL

 

DEPOIS DA PORTA

DEPOIS DA PORTA

 

OS INTERVENTORES
OS INTERVENTORES

 EM TEMPO: o mandato da atual diretoria se encerraria no início de abril. A provedora Helena Pereira já havia anunciado que não iria montar chapa para permanecer à frente do hospital. Porque então o prefeito Geninho preferiu intervir ao invés de esperar que a atual diretoria deixasse os cargos à disposição? Faltavam cerca de 30 dias somente. Se os médicos já haviam aceitado a volta ao trabalho, não haveria maiores solavancos ao hospital, já que os demais problemas apontados pelo Ministério Público como justificativas, são problemas históricos do hospital, que já veem de décadas. E que, aliás, nunca estiveram tão sob controle como estavam agora. Na realidade, os interventores vão pegar um hospital ‘redondinho’, fácil de tocar. Bastando resolver a questão financeira. Mas, fisicamente a Santa Casa está 99%. Bem diferente de como estava quando a atual diretoria assumiu, em 2007. Milhões em dívidas espalhadas por todos os segmentos específicos do hospital, incluindo até supermercado. Mais de R$ 2 milhões. Hoje, o que o hospital deve, é para bancos, empréstimos perfeitamente pagáveis, conforme estavam sendo. Portanto, a Santa Casa é daqui para frente. Retroceder jamais!

SERRA, UM EXEMPLO DE ‘NÃO-CANDIDATO’

TUDO PELO VOTO, NADA SEM O POVO...

TUDO PELO VOTO, NADA SEM O POVO...

Amigos do blog, o governador José Serra é uó! Mal-humorado, deseducado, ríspido, inacessível e não te olha nos olhos. Não tem carisma e não respeita profissionais da imprensa. Tudo isso num candidato a candidato a talvez candidato a presidente da república. Seu secretário de Desenvolvimento, Geraldo Alckmin, ao contrário, foi de uma fineza sem medidas. Fino no trato, acesssível e cordial com a imprensa. Será o candidato a governador de São Paulo, embora diga que respeita “muito” Aloysio Nunes, o nome ‘stand-by’ para a disputa em São Paulo, embora Serra afinando de tentar a cadeira do Planalto, logicamente o fará para manter-se no Governo do Estado. Serra negou-se a comentar os resultados da pesquisa do Datafolha que o coloca quase junto com a sua oponente Dilma Roussef, candidata do Lula (PT). “Eu não comento pesquisas, como eu nunca comentei”, disse ele com cara de bravo a nosotros jornalistas. Comentário de um colega após a negativa de Serra: “Se ele estivesse disparado na frente da Dilma comentaria com o maior prazer”. Concordo, colega. Concordo.

A assessoria de Serra, por outro lado, precisa prepará-lo melhor para estas ocasiões. O governador

VIDA DE REPÓRTER NÃO É FÁCIL

VIDA DE REPÓRTER NÃO É FÁCIL

cometeu muitas gafes ao trocar ou errar nomes, cochichar com o prefeito para saber quantos habitantes tem a cidade, ou mesmo chamar a nossa urbe de “Olinda” e não Olímpia. Pior foi quando ele afirmou que Olímpia tinha sido uma das cidades que tinha entrado “no programa maluco da Paulipetro”, aquele do Paulo Maluf, para encontrar petróleo no interior do Estado, que segundo Serra deu “R$ 400 milhões de prejuízo” ao erário. Ele dizia do poço que hoje serve ao Thermas dos Laranjais. Quando afirmava isso, perguntou aos presentes se “não estava enganado” sobre o tema. Ninguém teve coragem de corrigí-lo, nem o prefeito. Mas o governador estava, sim, enganado. O poço que serve ao Thermas foi perfurado pela Petrobrás, nos idos dos anos 50. O “programa maluco” da Paulipetro nunca esteve por aqui, governador.

Mais: o jornal Bom Dia Rio Preto disse que “cerca de 400 pessoas gritaram Serra Presidente! Serra Presidente!”. Não foi. Os gritos vieram de um grupo da 3ª Idade que havia sido recrutado para encorpar o público – talvez 15 a 20 pessoas, não mais – juntamente com funcionários de todas as secretarias municipais devidamente identificados, o secretariado em peso, seus familiares e um pouco de ‘povo’, para não dizer que ele lá não esteve prestigiando.

A imprensa regional veio em peso à recepção com um único objetivo: ouvir de Serra as palavras mágicas “sou candidato a presidente”. Mas não conseguiu, por mais que tentasse. Quem falou sobre o assunto foi Alckmin, dizendo que “a campanha vai bem” e que Serra era o candidato tucano ao Planalto. E ele, ao Palácio do Governo. “Ele já disse que não vai falar de política!”, gritava uma histérica assessora para os repórteres. A ‘muvuca’ da coletiva foi tamanha, pela falta de melhor organização, que as TVs chegaram a ameaçar ir embora, sem participar. O assessor de imprensa teve que providenciar uma entrevista específica para a TV depois.

DECORANDO O TEXTO

DECORANDO O TEXTO

O passeio do governador pelas dependências da Etec só podia acompanhar quem estivesse fazendo imagens – e não fotos. Com máquina fotográfica não podia passar pelo portão. Com filmadora podia. Como minha máquina engana como filmadora também, pelo seu porte, entrei. Betinho Tófolli, da “Folha da Região”, só com gravador em punho, não entrou. Outros colegas de jornais da região também não entraram. Coisas de Serra.

Quando se referiu aos deputados Rodrigo Garcia (DEM) e Uebe Rezeck (PMDB) ao seu lado no palanque, juntamente com Bruno Covas, Serra brincou: “O Rodrigo e o Uebe sempre foram os dois deputados mais votados em Olímpia. Agora é o Bruno que quer alcançar esta façanha”.

Se o governador nada disse sobre sua pretensão de ser candidato ou fugir da raia, o prefeito Geninho deu um jeito de colocá-lo na roda: “Quero ter a honra de saudá-lo da próxima vez que vier aqui, dizendo ‘seja bem vindo, presidente'”, disse um empolgado prefeito. Consta que ele está pretendendo trazer o Lula para as inaugurações de obras feitas com recursos federais – aliás, quase todas elas. Claro que o presidente, se vier, deve trazer a tiracolo sua candidata, Dilma Roussef. Para o mesmo público, o prefeito dirá as mesmas palavras em relação a ela? Aguardemos.

INAUGURAÇÃO DAS VICINAIS NO PALCO

INAUGURAÇÃO DAS VICINAIS NO PALCO

No mais, nenhuma outra obra foi inaugurada com a presença do governador. Somente a Etec e a vicinal, aliás vicinais, porque são três interligadas, que partem da Cruz Alta, corta o denso canavial da usina, corta a rodovia Natal Breda, volta a cortar o canavial da Guarani e termina na estrada de Álvora. Foi obra feita no ano pasado, dentro do programa de recuperação de vicinais. As outras obras não foram inauguradas porque simplesmente não estavam prontas. E havia o problema da autoria delas. Todas do Governo Federal.

As vicinais têm três nomes. Serra até brincou: “Quem conseguir decorar os nomes – e leu-os impressos na placa inaugural – pode se candidatar a qualquer concurso que vai passar na hora”. Risos. Fecha a cortina.

Blog do Orlando Costa: .